sábado, 31 de agosto de 2013



SOLIDÃO






Hoje o chicote da solidão
Vergasta-me o corpo
As gotas sanguíneas tombam em podridão
Qual doente já em recobro
Qual ser na farsa do viver.
Essa vergasta é dolorosa
Mata o sentir em sofreguidão
Mas apazigua a lágrima chorosa
Que não tem rumo e nem razão.
A vida ergue os braços como pedinte
Encobre o olhar do sol aquecido
Os pés sangram no caminho
Procurando um ouvinte
Que não existe.
O corpo exausto tomba na calçada
No chão rasteja por um laivo de amor
Respira para a alma não ficar parada
E no cansaço da escuridão
Arranca o coração...
E dá um grito louco de dor.



Garça Real



16 comentários:

Solange disse...

absurdamente lindo!!

bjs.Sol

Cristina Cebola disse...

Profundo e belo, mesmo quando a palavra tem a força de uma chicotada que faz doer...a dor da solidão que se faz sentir na harmonia de um poema cheio de ritmo e sensibilidade...

Beijinho e bom fim de semana!!!

luna luna disse...

Porque será que os poemas quanto mais sofridos são mais beleza deixam transparecer.
beijinhos

Zilani Célia disse...

OI!
MARAVILHOSO, SEM MAIS PALAVRAS...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

O Árabe disse...

Lindo, amiga! Mas tão doído, que me deixa triste. Boa semana, fica bem.

helia disse...

Um excelente texto ! A Solidão dói e muito !

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Fa menor disse...

É assim a solidão forçada... com um grito louco de dor, tantas e tantas vezes mudo.

Beijinhos

Eduardo Aleixo disse...

Poema cheio de tristeza que a sensibilidade da poeta sublima em beleza florida.
Gosto de te ler, Garça.
Vamos arrebitar as asas.
Beijo.

tulipa disse...

OBRIGADO pela visita
e comentário deixado no meu blog

não queria mais uma vez
lamentar-me

no entanto, coisas boas
não tenho para dizer...

nem sei explicar
parece-me de todo
inexplicável e também
impossível
sentir que
passaram 30 dias
eu, em casa
e nada de proveitoso fiz
...
sem energia
sem interesse
sem motivação
sem disposição
...
estou prestes a regressar
ao trabalho
sem nenhuma vontade
...
por obrigação
...
o meu tempo
não foi dedicado
a nada
desapareceu por entre
os segundos e os minutos
das 24h que o dia tem

na poesia
leio
como o rolar do tempo
e ter sempre tanto tempo para contar
.
o problema foi esse
tive tempo
e não o aproveitei
.
depois
leio
alguns
dos comentários
para outras pessoas
.
sempre que leio:
És mais do que merecedor das amizades que tens!
.
dá-me uma pancada no peito
sinto
e penso:
porque também eu não sou
merecedora de amizades!

sinto-me
esquecida
ignorada
abandonada

deixo-lhe um beijinho

vieira calado disse...

Em relação à minha Astronomia, esteja atenta.
O ISON pode ser o cometa do século!
Bjssss

Nilson Barcelli disse...

A solidão é atroz... e causa dor a qualquer um.
A menos que sejamos boa companhia de nós próprios...
Poema sofrido, mas excelente.
Gostei muito, como sempre.
Querida amiga, tem um bom domingo.
Beijo.

A.S. disse...

A pior das solidões é aquela que se sente apesar de acompanhados...


Um beijo!

AL

O Árabe disse...

Boa semana, amiga. Aguardo o próximo post.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Por vezes mesmo acompanhadas, estamos solitárias.
Como sempre adorei o teu poema escrito do mais profundo de ti.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Helena disse...

Lindo e tão triste!
A solidão é assim, verga o corpo e entorpece a alma.