quarta-feira, 11 de janeiro de 2017







No corpo dança
A volúpia do perfume teu
Num rasto de sabor louco
No meu corpo que aquece o teu
De um beijo...
Que sabe sempre a pouco
Porque escondemos o sentir
Não deixamos o coração rugir
Cerramos os olhos
Qual grito rouco
Unimos os corpos
Sedentos de querer
E num abraço tão forte
Deixamos...
Os pingos de amor a escorrer.


Garça Real


 

sexta-feira, 16 de setembro de 2016







Quero mais
Quero o dia, a noite o luar
Quero acordar e continuar a sonhar
Quero ver como teus olhos são leais
E me envolvem na grandeza do coração
Onde habita a tua protecção.
Quero ainda o brilho das estrelas
Onde nem temporais, seus cintilares apagam
E quando as olho uma a uma
Meu corpo exuberantemente afagam.
Quero teu toque atrevido, quase demente
Quando meu corpo percorres lentamente
Sentir-me tua num eterno sem fim
Para beberes tudo que oferto de mim.
Quero sonhos e voos reais
Mesmo vagueando ou voando,
Pois de ti...
Quero sempre muito mais



Garça Real

 

terça-feira, 12 de julho de 2016






O luar espelhado nas pedras da calçada
Desta aldeia que respira magia
Onde à meia noite dançámos 
No enlevo de um abraço que o corpo pedia.
Palavras sussurradas numa dança já amada
Olhares cruzados quando os corpos tocámos.
O tempo sempre a passar
Unidos sempre a lutar.
A vitória tem chegado em lentidão
É hora da recompensa almejada
O sinal foi dado
Bateu o brutal grito do coração
Após a caminhada suada
Encontramos o nosso norte
E nesta junção fortalecida
Tocamos a sorte
E brindamos então...
 À beleza da nossa vida.


Garça Real