quarta-feira, 11 de janeiro de 2017







No corpo dança
A volúpia do perfume teu
Num rasto de sabor louco
No meu corpo que aquece o teu
De um beijo...
Que sabe sempre a pouco
Porque escondemos o sentir
Não deixamos o coração rugir
Cerramos os olhos
Qual grito rouco
Unimos os corpos
Sedentos de querer
E num abraço tão forte
Deixamos...
Os pingos de amor a escorrer.


Garça Real


 

6 comentários:

Cristina Cebola disse...

Um belo poema de amor!!
Após um ano de paragem, estou de volta...

Beijinho

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite! Hoje vai este poema
http://vieiracalado-poesia.blogspot.pt/2017/01/o-coracao-conhece-o-segredo.html Os meus cumprimentos!

Mar Arável disse...

Não matem as avenidas da Liberdade

Fá menor disse...

Que o amor sempre escorra pela vida afora!

Beijinhos

A.S. disse...

Belo!... Deliciosamente sensual!
Gostei muito!

Bjuss, AL

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Uiiii!!!! E que cenário...

Beijinho doce