quarta-feira, 8 de dezembro de 2010






Escorrega em mim o teu olhar
A ternura que criaste
Quando ao cais da vida me arrancaste
Pediste para nunca parar de sonhar,
Pois a vida mesmo dada por perdida
Faz sempre desabrochar,
A rosa empalidecida
Onde a cor reaparece
E o voo mesmo nostálgico e lento
Volta e meia acontece,
E toca calmo o âmago quebrado,
Onde a tempestade abandonou o violento
E a aragem fresca pinga ao longo do corpo
E dá ânimo
Para renascer e lentamente...
Tocar o impossível talvez esperado



Garça Real




13 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

"E a aragem fresca pinga ao longo do corpo
E dá ânimo
Para renascer e lentamente...
... Tocar o impossível talvez esperado".......
É a aragem, refrigério, quase primavera após as brumas longas.
É a pinga de sol e riso que acalenta.
Assim renascemos.
Assim ouvi à beira do lago o sonho da garça.
Eu sorri-lhe.
Ela acenou-me com as asas malandrecas.
Eu respondi-lhe:
- escreveste mais um lindo poema, bonito, doce, simples e puro.
Um abraço amigo.

Phoenix disse...

"Pediste para nunca para de sonhar". Tão bonito..esse impossível deixará de o ser.
beijinho*

Solange disse...

quem sabe esse não seja o caminho para alcançar o céu..

bjs.Sol

Pena disse...

Preciosa Poetiza Amiga:
"...Escorrega em mim o teu olhar
A ternura que criaste
Quando ao cais da vida me arrancaste
Pediste para nunca parar de sonhar,
Pois a vida mesmo dada por perdida
Faz sempre desabrochar,..."

Tem de haver uma esperança.
Escreve de forma sublime, explendorosa e linda poetiza de sonho.
É perfeita.
Um doce e lindo poema doce.
Parabéns pela preciosidade humana e poética que é e significa para todos nós.
Excelente. Saída da sua interioridade fascinante e maravilhosa.
Adorei. É fantástica.
Abraço amigo de respeito.
Sempre a estimá-la e a respeitá-la imenso.
Com admiração constante.
O AMIGO SINCERO

pena

Bem-Haja.
É linda.
MUITO OBRIGADO pela honra de comentar a sua doçura fantástica em versos divinais.
Adorei.

poetaeusou . . . disse...

*
e a palavra
gerou poema
de reaparecidas pétalas,
no âmago da esperança !
,
aromáticos pililipares,
no Lago do renascimento,
,
*

gaivota disse...

mais um poema lindíssimo, garça!
tocar o impossível, fazê-lo realidade!
beijinhos

sonho disse...

"Pediste para nunca parar de sonhar,"
tambem te peço não deixes de sonhar...pois como se diz...o sonho comanda a vida:)
Beijo d'anjo

Sonhadora disse...

Minha querida

O sonho é o que resta, quando tudo se desfaz...deixar de sonhar é morrer um pouco...lentamente.
Como sempre lindo.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

O Árabe disse...

Belo, amiga; mas a frase que mais me chamou a atenção foi: "tocar o impossível, talvez esperado". Quantas vezes essa sensação invade a nossa alma! :) Boa semana, fica bem.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Que renasça sempre...

Natal é o maior dos dons
Nas celestes alegrias,
Que nos ensina a ser bons
Com Jesus todos os dias”.
(Casimiro Cunha)

Que as pérolas incandescentes de luz que aqui deixo neste meu retorno, possam iluminar esta noite tão mágica do Natal.
Que possamos nós estarmos com o coração repleto de boas vibrações e que sejam elas distribuídas a todos.
Feliz Natal e um Ano Novo de muita luz e paz.

Eärwen Tulcakelumë

Nilson Barcelli disse...

"A rosa empalidecida
Onde a cor reaparece
E o voo mesmo nostálgico e lento
Volta e meia acontece,
E toca calmo o âmago quebrado
"
Mais um excelente poema, querida amiga. Gostei imenso.
Beijos.

O Profeta disse...

Mas porque raio vejo em tudo
A musica sempre presente
Porque umas vezes me faz triste
Outras me deixa contente?

E fui cantador de prosas sem rima
E fui tenor de palavras sem sentido
Cantei invenções e perdidos sonhos
E nisto não fui um cantador contido

Cantei-te a vida que vivi
As coisas que me fazem sofrer
Neste palco ninguém morre
No aplauso julguei esquecer...


Doce beijo

Eduardo Aleixo disse...

Passei por aqui: não vi a Garça no Lago: emigrou?