segunda-feira, 9 de novembro de 2009





Tentei agarrar a vida
Pelas mãos escorreu em água perdida
Quereres e desventuras esquecidos no tempo
Tempo que não pagou o desejado
Sonho caído em ídolo sonhado.
Um olhar passou
E acariciou-me o ser amortecido
Encostou em mim o acordar
Balançou o relógio
Que jazia em minutos parado.
Palavra quente e avassaladora
Minuto que deixou a marca do florir
De pétalas a deixar a cor abrir
Rasto dourado no despertar do morrer
Sonho sonhado de um acontecer.
O dar no acordar do retorno
O sentir o despertar do coração já morto
Pensar que a palavra cantada do amar
Pode sempre das cinzas ressuscitar.




Garça Real






20 comentários:

O Árabe disse...

Assim é, amiga: qual fênix, pode o amor ressurgir das próprias cinzas. :) Boa semana!

Pena disse...

Admirável Poetiza Amiga:
Tem um dom sensível nos seus fabulosos poemas doces: ENCANTA!
Li e vi que a sua grandiosidade em agarrar a vida, fascina e delicia.
Parabéns sinceros. É brilhante. Fabulosa em construir versos.
Beijinhos de pasmo perante a maravilha poética que existe latente de si.
Um poema grandioso bem sentido e significativo dum estar na vida.
Sempre a admirá-la.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade.
Bem-Haja, doce amiga.
É uma honra visitá-la e comentá-la.

Sonhadora disse...

Garça Real
Maravilhoso poema...parabens.

Beijos
Sonhadora

O Profeta disse...

Não sei quem vence!
Não sei quem leva a melhor
Só sei que um sorriso teu
Fez desabrochar das pedra uma flor

Com ela teci um tapete
Engalanei a sombra dos teus passos
Escrevi um derradeiro pedido numa pétala
Rogando a infinita ternura dos teus abraços



Doce beijo

Multiolhares disse...

Como a ave Fenix que renasce das próprias cinzas, tudo pode recomeçar
beijinhos

Oliver Pickwick disse...

As águas na se perderam, porém formaram este lago repleto de inspiração e de bons sentimentos.
Um beijo!

Vento disse...

As cinzas que o fogo queimou não voltam a arder, torna-se necessário alimentar de novo a chama.

Até porque a esperança é a última coisa que se esvai do nosso pensamento.

Beijo

Vera Y. Silva disse...

E se ressuscitar doente?

Carla disse...

ressuscitar a palavra e com ela dar nova vida aos sonhos
beijos

rosa dourada/ondina azul disse...

Delicio-me,
ao ler os versos do teu poema!

Deixo-te um
Beijinho,

tulipa disse...

Maravilhoso poema.
Fiquei deliciada com a sua escrita.
Obrigado pela partilha.


Quer saber mais sobre esta história?
...«Anna não está doente, mas bem poderia estar. Aos treze anos e idade já passou por várias operações, transfusões e injecções para ajudar a irmã, Kate, que sofre de leucemia. Anna nasceu com esta finalidade, disseram-lhe os pais, e é por isso que eles a amam ainda mais. Mas agora ela não pode deixar de se questionar sobre como seria a vida dela se não estivesse presa à irmã... e toma uma decisão que, para a maioria das pessoas da sua idade, seria quase impensável.»

gaivota disse...

pois é, tentar agarrar a vida nas cinzas de fenix...
muito bonito o teu poema
beijinhos

pequena borboleta disse...

garça és mesmo real, adorei. Obrigado pela visita. Na realidade, tudo pode renascer, tudo se pode reequilibrar porque assim é a natureza sempre em busca do equilíbrio, sempre morrendo, transformando-se e renascendo. Beijos voadores

Mário Margaride disse...

Temos que renascer de nós, minha amiga. Emergirmos das areias movediças, onde muitas vezes nos atolamos, parecendo que nunca mais , de lá podemos sair.

Belo poema!

Boa quinta feira.

Beijinhos

Mário

poetaeusou . . . disse...

*
belo poema,
águas perdidas ?
a água é vida,
a elementar fusão,e aqui,
elementar não é o primário,
é a fusão escrevia eu,
da Terra, Ar, Água e Fogo,
que nos permite viver.
amiga,
sonhar é acordar a esperança,
,
beijadas conchinhas e pilipares,
no extenso lago, deixo,
,
*

Eduardo Aleixo disse...

Gosto da garça quando não desiste dos sonhos.
Bom fim de semana, amiga. Bjitos

O Árabe disse...

Aguardo o novo post, amiga. Boa semana!

Eduardo Aleixo disse...

Vim ver a garça...bj

Pena disse...

Excelente Poetiza Amiga:
Apenas passo para constatar a perfeita e linda poetiza de sonho que é.
MUITO OBRIGADO pela sua amizade, simpatia e encanto numa fabulosa poetiza doce de maravilhar.
Beijinhos amigos de respeito imenso.
OBRIGADO por ser quem é. De imensa significação linda.
Beijinhos de respeito maravilhados pela sua ternura e encanto.
Sempre a admirá-la e a nutrir por si um gigantesco sentimento de deslumbre.

pena

É uma honra a sua amizade, fantástica poetiza doce.
Bem-Haja, pela preciosidade humana que é.

Mário Margaride disse...

Querida amiga

Um poema belíssimo! Onde o mergulhar em nós, na nossa inquietação, na nossa dor, no nosso desalento, é um grito de revolta contra as adversidades, e nos faz renascer de nós, das cinzas da nossa morte.

Uma excelente semana, com tudo de bom.

Beijinhos

Mário