sábado, 31 de outubro de 2009







Sinto a noite a tocar-me os sentidos
Num afago louco de sentimentos perdidos
Num florir de corpos em abraços escaldantes
No toque de lábios em volúpias esvoaçantes.
Recordo o dia em que o olhar por si falou
Em que tua mão por mim passou
Quando prometeste ofertar-me a lua
Pedindo em emoção para ser tua.
Entre carícias e sonhos voantes
Partimos juntos em asas de branca alvura
Pingando aqui e além,
Momentos de desejos amantes
No doce anseio de encostar à ternura
Momentos ansiados de emoção
Em que docemente juntos
Entoámos o refrão ...
Daquela que seria a nossa canção





Garça Real




21 comentários:

pequena borboleta disse...

um belo momento de pura descrição da paixão, parabéns garça foi um voo magnifico este teu. beijinhos voadores.

Multiolhares disse...

Só podia ser uma canção linda adornada pelos céus,pois não há nada mais abençoado que o amor.
Beijinhos esvoaçantes em ti e no lago, onde habita a garça

Sonhadora disse...

Garça Real
muito bonito este poema.-..com muito amor e desejo.
Beijos
Sonhadora

Vieira Calado disse...

... e, espero bem

que continue a ser!

Beijinho

Lis. disse...

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-las a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida, a nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo o desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.

Um bom domingo para nós dois.

ps. É sempre eterno o que é bonito.

Pena disse...

Doce e Sensível Poetiza Amiga:
Escreve sempre com um sentimento profundo. Majestosos. Eloquente e sincero.
"...Quando prometeste ofertar-me a lua
Pedindo em emoção para ser tua.
Entre carícias e sonhos voantes
Partimos juntos em asas de branca alvura..."

Uma poesia que fascina.
É linda. Perfeita. Majestosa de encanto.
Parabéns sinceros. Adorei!
BRILHANTE!
Beijinhos amigos.
Com respeito, estima e imensa consideração.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, pela divinal poetiza que é.
MUITO OBRIGADO pela sua amizade e amabilidade maravilhosa.
É uma honra "entrar" aqui.

Eduardo Aleixo disse...

Que belo poema de amor cantado pelo bico doce da garça real!
Beijito do À Beira de Água.

poetaeusou . . . disse...

*
as tuas palavras
levam-me para além
do firmamento !!!
,
entoo
esta emoção,
onda alva que me invade
nas asas das tuas palavras
esvoaçando
entre ternura e carinho . . .
,
invado de pilipares,
a princesinha do lago,
embrulhados nas conchinhas
que te deixo.
,
*

Sofá Amarelo disse...

Temos sempre uma canção em sintonia com alguém... e desde que se entoe o mesmo refrão, os momentos de emoção estão garantidos..

Muitos beijinhos! Boa semana!!!

tulipa disse...

Mais um dia solene aconteceu.
Adoro ler o que escreve.

Inscrevi-me num concurso que desafiava os munícipes a participar numa colectânea intitulada “Poetas Nossos Munícipes”, publicada pela Câmara Municipal da Moita.
Esta edição resultou de um desafio lançado pela autarquia, no início do ano, a todos os munícipes com mais de 14 anos com gosto pela poesia, para apresentarem os seus poemas.
A "grande surpresa" foi um dos membros do júri, o escritor Alexandre Castanheira, ter escolhido um dos meus trabalhos para ler ali, publicamente, diante de um auditório com 150 pessoas.
No meu blog transcrevo esse poema seleccionado.

Convido-a a espreitar.
Espero que goste.
Um abraço.

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Profeta disse...

Frias pedras, negro basalto
Sentinelas do receio à tempestade
Testemunhas da viajem do tempo
Cobertas de sal, guardiãs da verdade

Mas, não há duas reais verdades
Não há rios que correm para o alto
Não há amor num coração que mente
Não há ternura sem viver o momento


Vem viver a minha cidade inventada


Doce beijo

Dreamaster disse...

Gostei.

Forte e intenso.

Deu pra sentir paixão no ar.

Mui bien little girl ;)

Uma boa semana.


Bejus
D.

O Árabe disse...

Uma canção que se repete pela eternidade. E, entretanto, é única para cada ser humano. :) Boa semana, amiga!

Mário Margaride disse...

Belo e sentido poema, querida amiga.

A sensibilidade, a ternura, o amor, a paixão, estão bem patentes nestas belas palavras!

Beijinhos, e bom resto de semana.

Mário

Ofarol disse...

Como o Amor é lindo. Dito assim...
Escrito assim... Pensado assim... e vivido assim...

Bons voos garça...

Beijos

gaivota disse...

as tuas palavras são sempre cantadas...
beijinhos

Nilson Barcelli disse...

"Quando prometeste ofertar-me a lua
Pedindo em emoção para ser tua"
Uma canção que é um poema magnífico. Gostei imenso querida amiga.
Bom fim de semana.
Beijos.

Maria Valadas disse...

Linda canção de amor...
A Garça voou e em seu lago pousou.

Parabéns minha querida, por tão belo poema.

Bom final de semana.

Beijos.

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oliver Pickwick disse...

A canção do amor, agora entoada em outros versos de amor e paixão. Mudam-se os versos, mas o verdadeiro amor nunca morre.
Um beijo!