quarta-feira, 14 de outubro de 2009








Sentimentos conturbados
Desalentos exagerados
Alma de poeta em sonho vagueante
Busca de amor em caminho errante.
Passeios longos na magnitude do infinito
Num voo lento acarretando desalento
Sonho perdido num tombado beijo amante
Momentos adormecidos
Em entardeceres já esmaecidos,
De vivências loucas
Na união de trémulas bocas
De Verão que foi Outono
De primavera que foi Inverno
De um Setembro ao abandono
Que tombou inerte
Nas profundezas do Inferno




Garça Real




18 comentários:

Lis. disse...

E o fogo do inferno...

De genérico se fizeram momentos.
Das impossibilidades o amar não fluiu.
Fomos e voltaremos em momentos sempre.

Do inferno cresceu fogo da paixão
Das tempestades surgiu a alma lavada.
Da sorte restou-nos o belo prazer do viver.

Sonhadora disse...

Que poema lindo o não e o sim numa perfeita conjugação.
Voltarei mais vezes
Sonhadora

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson Barcelli disse...

Há sentimentos conturbados que matam o sonho no fogo dos infernos.
Mas o contrário também é verdadeiro...
Belo poema, gostei.
Beijos.

Rafeiro Perfumado disse...

Essa confusão nas estações do ano é reflexo do aquecimento global, aposto...

Eärwen Tulcakelumë disse...

Minha amiga, querida Garça
Que o passar das estações em teu coração tenha somente o calor do sentimento maior. São encantados os versos.
.“Nesta visita peço desculpas pelo silêncio das pérolas
Mas era preciso que assim fosse, para poder florescer a primavera
Meu carinho em nada mudou e voltando agora estou
Deixo aqui, como sempre, minhas pérolas de carinho que refletem a luz do que sou.”
Eärwen

Eduardo Aleixo disse...

Peço desculpa, não concordo. A Garça não costuma confundir as estações do ano.Está triste com as perturbações da dona. Mas ela e o lago continuam harmonosas. E se a dona aprendesse com garça? Um beijo

João Norte disse...

Há tempo que não passava por aqui.
Parabéns.
Um beijo

tulipa disse...

Nesta estação de Outono relaxe e retempere forças!
As alterações climatéricas (quais…) temos tido verdadeiros dias de Verão… influenciam o estado da nossa saúde, ao nível das mais diversas doenças.

Belo poema em harmoniosa contradição!!!

Nos meus blogues falo de cinema (uma comédia romântica)e faço um desafio. Será que posso ver o que vês da janela do teu quarto?
Eu mostro o que vejo, sinto uma paz tão doce.

Beijinhos.

gaivota disse...

olha que nesta altura de confusão até metia alguém(ns) nas profundezas dos infernos!!!
bem lá no fundoooooooooooo
vá, rapariga, há sempre coisas piores...
beijinhos

Mário Margaride disse...

Minha querida amiga.

O poeta, é um ser errante. Buscando incessantemente a felicidade e o amor, através dos sonhos e das utopias.

Lindo poema!
Tem um excelente fim de semana, com tudo de bom.

Beijinhos

Mário

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Muito pessimismo, no seu poema!

Vá lá... tenha fé no novo amanhã!

Beijinho

Pena disse...

Estimada e Brilhante Poetiza Amiga:
"...Sentimentos conturbados
Desalentos exagerados
Alma de poeta em sonho vagueante
Busca de amor em caminho errante.
Passeios longos na magnitude do infinito
Num voo lento acarretando desalento
Sonho perdido num tombado beijo amante
Momentos adormecidos
Em entardeceres já esmaecidos,
De vivências loucas..."

Neste soberbo e delicioso poema só vejo pureza, beleza e um génio poético fabuloso.
Tem uma sensibilidade para fazer versos admirável, notável, pura e linda.
Aqui só descortino: MARAVILHA!
Adorei.
Deve ser um Ser Humano fantástico.
Com o maior respeito, estima e admiração.
Beijinhos de amizade.
Sempre a considerá-la de forma gigantesca e a ler os seus poemas de sonho.

pena

Bem-Haja, doce amiga.
É sempre uma honra indescritível visitá-la, acredite?

Mário Margaride disse...

Querida amiga

Passo por este teu cantinho, tão aconchegante, para te desejar uma excelente semana, com tudo de bom.

Beijinhos

Mário

O Árabe disse...

Belo, amiga! Mas seria o tempo, talvez, de uma nova estação de esperança. Nós, teus amigos, assim desejamos! :) Boa semana.

Carla disse...

o fogo do inferno na alma do poeta
beijos

poetaeusou . . . disse...

*
profundo poema
exorcizando os sentidos,
,
do Inferno renascidas
as cinzas cantam estações,
acordando as bocas, do abandono,
,
profundos pilipares
inundando o LagoReal,
,
*

Oliver Pickwick disse...

Fogo e enxofre são elementos raros no lago. Mas decerto as suas águas sábias saberão harmonizar os descaminhos do amor.
Um beijo!