sexta-feira, 24 de outubro de 2008







Não sei se é a noite que me escurece
Se as lágrimas que me queimam o rosto.
Não sei se o olhar perdeu o brilho
Ou se o sorriso esmoreceu em sol posto.
Sinto o grito surdo da saudade
A lágrima a tombar na mão
O sorrir ausente da realidade
A luz empalidecida no coração.
Deixo as pálpebras tombarem calmamente
E no respirar profundo do descanso
Liberto o meu voar
E rasgo o infinito docemente.


Garça Real




31 comentários:

gaivota disse...

lindo o teu poema! rasgas o infinito docemente...
lindíssimo e triste anda o teu lago...
beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
metamorfose,
do teu poema . . .
,
eu sei,
que o sol
escureceu a saudade
com a tua presença,
as lágrimas
cristalinas gotas
deram brilho ao olhar,
os gritos,
o marulho do mar
clama o teu nome
solicitando
o teu golpe de asa
voando
á velocidade –luz
pelo infinito . . . em infinita graça,
,
pilipares de luz,
extensivo ao lago
,
*

Deusa Odoyá disse...

OLá amiga.
Um poema de muita pureza,mas ao mesmo tempo triste.
Uma imagem muito doce, onde definis o seu infinito.
Beijos amiga, e muita paz e luz em seus caminhos.
Uma semna repleta de amor e fé.

Regina Coeli.

Dreamaster disse...

Isso são os sintomas do Outono ;)

Vai umas castanhas assadas? :D


Bom fim de semana

Bejus
D.

Dreamaster disse...

Então eu puz lá videoclips de musicas pq a menina pediu e depois não diz nada?! ai ai ai... e o trabalho q aquilo me deu

Bezus grandes ;)
D.

LuzdeLua disse...

Amiga, passando para deixar aqui meu abraço, te ler e desejar um excelente findi semana.

"Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas;
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
de árvores alheias"
(Fernando Pessoa)

Bjs

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Lindíssimo este poema!
Embora, envolto num manto de saudade e tristeza, contém uma incomensurável beleza!

"Deixo as pálpebras tombarem calmamente
E no respirar profundo do descanso
Liberto o meu voar
E rasgo o infinito docemente."

Lindo! Lindo!

Um excelente fim de semana!

Beijinhos...

Mário

Eärwen Tulcakelumë disse...

E que teu vôo traga a libertação para tua alma...
Com olhos atentos observo e desejo que sigas firme.
Tua estada em meu mundo me alegra.

Pérolas incandescentes de doces vôos.

Carinhosamente,

Eärwen

Sonhadora... disse...

Lindo poema, qdo a saudade bate...é assim como um pássaro invadindo o ar.

bjos e lindo fds!

Duarte disse...

As imagens que eleges fascinam-me. Excelentes tons que dão ao conjunto uma aureola de bem-estar.

O poema uma delicia,
numa melancolia,
banhada de tristeza.
Nesse voo liberto,
na busca imperiosa do bem,
no reencontro com a realidade...

Beijos

Gerlane disse...

Terno sentir, amiga! Assim como o meu, a versejar pela saudade.

Beijinhos!

Poemar disse...

Rasgar o infinito...em sonhos! Belo vôo poético o teu!

*Beijos*!

Beatriz disse...

Tão bom quando podemos voar assim pela amplidão azul, livre das amarras, somente nós e o nosso sonho... lindo poema, amiga! Uma doçura a imagem, dando idéia de um vôo de luz.

Fica um raio de luar brincando nos teus sonhos e um beijo no coração!

tulipa disse...

OLÁ AMIGA
As suas palavras são uma delícia que sensibilizam.

MUITO OBRIGADO por aquilo que significa para mim, palavras como as suas nos meus comentários, tocam, se tocam!!!

A diferença que existe entre nós dois, é que você tem pessoas de carne e osso que a amam e você precisa de lhes retribuir esse amor e dedicação; já eu só tenho as pessoas do mundo virtual que, sinto que gostam de mim e dizem-no cada qual à sua maneira, mas na vida real estou SÓ, muito só.

Beijinhos amigos.
Até sempre.

tulipa disse...

AMIGA
venho corrigir uma expressão:
..."nós duas..."
perdoa-me, por vezes acontece estar a escrever uma coisa e a cabeça atormentada com outras...

Se viveste no Porto, convido-te a ver um dos ex-libris da cidade Invicta.

O Árabe disse...

Lembra-te, amiga: enquanto formos capazes de voar, capazes seremos de mudar a realiade que fizemos. Sorri, boa semana!

Maria Clarinda disse...

Voarei contigo, nesse rasgar do ar!
Lindo o teu poema, lindo o momento que passei contigo.
E...nas entrelinhas...que vislumbro, sinto o teu lago.
Jinhos mil

Multiolhares disse...

Que a tristeza deixe o teu lago e a garça volte a sorrir
beijos

Sunshine disse...

E que no adejar gracioso das tuas asas rasgando o infinito a saudade e as lágrimas se percam e a luz possa aquecer o teu doce coração.

Bjinho carinhoso

Alexandre disse...

Rasgar o infinito é um acto sublime.. assim se liberte o nosso voar...

Beijinhos! Boa semana!!!

TCHI de Tchivinguiro disse...

Que te abras, de par em par, ao infinito e que ele te deixe entrar e aconchegue.

Beijinhos.

O Profeta disse...

Esvoaçantes as tuas palavras...



Doce beijo

Manuel de Santiago disse...

Bello, expresivo, rico el poema. Destila sensibilida. Y una cierta melacolía.
Un saludo.

ki-colado disse...

Adentro por caminhos de paz
Eis-me com encantos de mago
Quão largo é o que me traz!

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Passo por este teu belo cantinho, para reler este lindo poema, e desejar-te uma excelente semana.

"Não sei se é a noite que me escurece
Se as lágrimas que me queimam o rosto.
Não sei se o olhar perdeu o brilho
Ou se o sorriso esmoreceu em sol posto."

Muito lindo!

Beijinhos

Mário

Betty Branco Martins disse...

.querida Garça



_________o espaço




abre-se




como____uma breve pontuação_____...





lindo o teu poema











beijO___C____carinhO
bSemana

meus instantes e momentos disse...

muito bom voltar aqui. Me inspira.
Maurizio

rosa dourada/ondina azul disse...

Voas no pensamento
e nas asas do sonho !

Belo como sempre :)))

Gosto do Lago com as cores outonais!

beijo p ti,

o que me vier à real gana disse...

Com esse poder d'alma pode rasgar o que quer que seja! Um poder que, sendo-o, paradoxalmente amplia a dor... de ser e de o ter!

Mais um blog k vale a pena

LuzdeLua disse...

Hummmm, passando amiga a procurar teus lindos versos.
Deixo-te um abraço com carinho

o das caldas disse...

Como é lindo o teu voar GARÇA e como te compreendo! Já tinha saudades mas outros valores se tém levantado.
Beijinhos das Caldas