quarta-feira, 27 de agosto de 2008







Envolta na solidão da vida
Abraçada ao silêncio da escuridão
Deixo um rasto de alma perdida
Sem amor, sem alma, sem coração.
Tento apagar o sentir
Esquecer sentimentos, palavras dolorosas
Um querer de não querer partir
Um sofrer de frases amorosas.
Não sei se quero esquecer
Se apagar um momento de candura
Se trocar a vida pelo morrer
Ou se tão sòmente mostrar que essa vida...
Só anseia...
A palavra ternura.



Garça real





13 comentários:

o das caldas disse...

Olá. As minhas férias continuam mas não podia olvidar que bebeste do meu cálix!
Que mais dou? Apenas conforto através de palavras e actos.
2 beijinhos

São disse...

Posso voar também neste poema? Tudo de bom.

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Um belo poema, apesar de envolto em tristeza e desencanto.

Mas apesar da dor e do sofrimento, a vida vale sempre a pena ser vivida.

Há sempre um novo amanhã, para descobrir.

Beijinhos doces

Mário

gaivota disse...

e com ternura tanta coisa se resolve...
que não haja mais desencanto nem solidão, se bem que um pouco de "solidão" às vezes cai bem...
beijinhos

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Um belo instante feito instantes de incomparável fascínio poético.
Na solidão...???
Uma ternura imensa feita de vida e de genialidade versejada linda.
Adorei! Excelente.
Beijinhos amigos de estima, consideração e respeito.
Sempre a admirá-la

pena

Um Momento muito puro e fantástico de poesia.

Eärwen Tulcakelumë disse...

"...Ou se tão sòmente mostrar que essa vida...
Só anseia...A palavra ternura. "

Tão belo e tão triste...mas assim somos nós não é? Abrigamos por vezes dores que nos turvam a visão, escurecem as águas do LAGO, enfraquecem o rio de lava...
Mas surge lá do fundo, aquela força que temos e nos faz reviver...é Amiga do LAGO, nós somos assim...
Adorei!!!
Agradeço as palavras deixadas em meu mundo, onde sabes, és bem vinda.

Deixo uma pérola incandescente de carinho amigo nas águas do LAGO.

Eärwen

rosa dourada/ondina azul disse...

Querida garça,

Gosto do teu poema, mas...
solidão, ela existe mesmo...


Beijinho,

poetaeusou . . . disse...

*
não sei
se a candura
feita ternura
do teu amor
é como a flor
viva mimosa
bela amorosa
não sei . . . se sei . . .
,
ansiadas conchinhas, deixo,
,
*

TCHI de Tchivinguiro disse...

Bom regressares ao lago e deixar-nos "banhar" nas águas da tua realidade.

Beijinho.

markus disse...

GR,
A alma por vezes perde-se, mas temos de ter força pra fazer encontra-se. Um beijo e uma ternura pra ti )))*

Pena disse...

Doce Amiga:
OBRIGADO pelo momento sensacional, simpático e maravilhoso que foram as palavras lindas expressas no meu blog.
OBRIGADO sincero.
Beijinhos amigos que a respeitam imenso e a estimam gigantescamente.
Sempre a admirar-lá pela incrível beleza de postura na vida de todos nós.

pena

Menina do Rio disse...

Será que não há alma, nem coração neste rastro? Sinto que há uma intesidade de viver...

Um beijo pra ti e bom final de semana

Eärwen Tulcakelumë disse...

Do meu mundo incandescente venho trazer-te mais uma pérola de carinho amigo.

Eärwen