sábado, 11 de agosto de 2007






Amor...
Se me vires entre silvas e relvados
Brincando no regaço com uma flor,
É porque ainda te tenho amor.

Se me vires entre dunas e penedos
Tecendo com os dedos
Um bordado de espuma do mar,
É porque ainda te quero amar.

Se me vires rua fora meditando
Levando os olhos fixos, sem pranto,
Se te olhar com indiferença,
É porque em mim já não existe crença.

Mas se me encontrares
A descer um abismo
Cheia de loucura e sem rezar...
Então, amor...
Não digas a ninguém que me viste
Porque se é verdade que a morte existe
Ela me virá buscar.

GarçaReal







30 comentários:

Rosa Maria disse...

Esqueçamos então a descido ao abismo...
Fica um beijo

Reflexos da Alma disse...

Minha Querida Garça !!!

Apesar da Beleza do Poema, fico sem perceber qual o clima e a envolvencia que levaram à sua Criação ....

Parece-me um Poema Criado sob brisas de um vento que te feriu o Ohar ....

É claro que eu não tenho que perceber nada , mas sinceramente espero que não seja nada disso ;)

Um Beijo Grande te deixo !!!

.:mÁrCiO:. disse...

Espero que te encontrem rapidamente nesses locais misteriosos...

Mas se te virem "A descer um abismo" então deixa-me levar pelo vento, e verás que ele te trará para o teu lugar!!!

MEU DOCE AMOR disse...

Bem te disse para não pores o Abismo:)))só se fosse AZUL.

E agora vou ter que andar a pôr colchões para não te magoares.Não é por nada,mas são muito caros :)))

SE ME VIRES NA RUA
A PASSEAR O MEU CÃO
É PORQUE VOU SER TUA
NUM TREMOR DE EMOÇÃO

:))))) ficou giro?

Bem... está maravilhoso.Brinca então com a flor no teu regaço, porque assim espalhas o que dentro de ti te dá vida: o AMOR.E este existe em tudo e para todos.

Um beijinho doce :)e vamos passear os canitos!

MEU DOCE AMOR disse...

Onde andas?Que seca!

Sol da meia noite disse...

Existem momentos e momentos...
Uns confirmam os outros...
Outros contradizem-se...

Profundo o poema!


Beijinhos!!!

MEU DOCE AMOR disse...

Que seca!

Lu@r disse...

Se ela vier buscar leva-me contigo.

Beijo

gasolina disse...

O teu amor não vai deixar!

De mãos dadas, olhos sorrindo, ele colhendo uma flor para te oferecer: Assim é que é!!!

Beijinhos, beijinhos, Real Garça

SILÊNCIO CULPADO disse...

Um poema só é poema quando é sentido. São os sentimentos profundos, como os que aqui encontro, que dão força às palavras.
Parabéns

efeneto disse...

...como é bom num Domingo de manhã pela brisa matinal
vir aqui apanhar
salpicos de palavras no seu "lagoreal".

Subscrevo e sublinho por baixo tudo o que a amiga "silencio culpado" disse...as palavras ao sairem transmitem o pensamento/sentimento da altura/lugar. Mas convem andar ainda por aqui para ir escrevendo umas coisas (risos)...beijo domingueiro...

Um Momento disse...

Lindo o teu poema
Sentimento á flor da pele
Um belo Domingo te desejo
Um beijo grande te deixo
:))

(*)

Dias... disse...

Bem bonito Garça, parabéns.

Gosto em particular da primeria metade.

Beijo de fim-de-semana

Maria Clarinda disse...

"...Mas se me encontrares
A descer um abismo
Cheia de loucura e sem rezar...
Então, amor...
Não digas a ninguém que me viste
Porque se é verdade que a morte existe
Ela me virá buscar.

GarçaReal"

Lindo!!!!!Jinhos mil

O Profeta disse...

Errantes fragrâncias, soltas no dia
Tanta paz, tanta verdade incontida
Tanta fé, no caminho da vida
No céu, grito de pássaro de asa ferida


Profético beijo

NETMITO disse...

Existe é muita vida para ti...)*
bjs*)

MEU DOCE AMOR disse...

Deixo um beijinho doce

efeneto disse...

...passei por aqui, molhei o bico,vou descer o abismo de uma semana de trabalho, voltarei quando a sede de amizade voltar...uma boa semana com palavras e beijos...

efeneto disse...

Hei-de voltar com certeza
Nem que seja para me banhar
Aqui é quase meio-dia
Desculpe, mas vou almoçar....

efeneto disse...

O meu rosto não queira ver
Tenho cara de “cabrito”
já desvendei o que comi
vou ao café e buscar um palito....

efeneto disse...

Os meus pecados são tantos
Que na última confissão que fiz
O padre pirou-se, deu á sola
Só parou em Paris...

efeneto disse...

Pode crer amiga
Que em terras de Viriato
Toda a gente é bem recebida.
Senão tem nada que fazer
Traga a faca e o garfo
Na minha humilde casa, vai ser servida...

Fêveras de porco caseiro
Uma Chouriça no fumeiro
Vinho do Dão para beber,
E Pão. Que aqui chamamos “casqueiro”.

efeneto disse...

Se for de Viseu me diga
Que na “carroça” a vou buscar
Para comer o arroz de carqueja
Peixe do rio fritinho
Com molho de vinagre regado
Nem que para isso ao rio
O teremos que ir pescar...

efeneto disse...

Para solidão esquecer
Nada melhor que amar
Nem que seja um momento
Olhe e sinta...
Vai a caminho a “carroça” a galopar
Enquanto espera ,olhe que
Sol deixou a lua entrar
A noite começa a viver
E deixa o sol descansar
Amam-se sem saber.
Tocam-se ao amanhecer e ao entardecer.
E quando “ela” chegar
Pode subir, pode sonhar,
“ela” a trará até aqui
Para comigo poder jantar...

Engraçado isto está
quem aqui a vier comentar
só vai ver "netinho" a dar cambalhotas
e sem nada de jeito dizer
vou-me embora devagar
pois estou farto de a chatear...
um beijo de despedida vou deixar.
e até amanhã...se calhar.

sonhadora disse...

"A paixão é meu destino
meu final
e meu começo"

Maria Teresa Horta

Beijinhos embrulhados em abraços

gasolina disse...

Se me sentires entre silvas nada temas... apenas estarei a ler os teus poemas até à alma.

Um beijo, Real Garça

João Cordeiro disse...

Os teus comentários são doces e amaveis




Beijo

João JR disse...

Olá:)
Obrigada pelas tuas palavras no meu cantinho, ainda que tardia..venho deixar-te o meu sincero abraço!
Beijinhos
Belo poema!!!

rosa dourada/ondina azul disse...

Querida Garça, passei para te deixar um abraço.

Bom fim de semana

Lu@r disse...

Ainda é pouco...
Quero-te por inteiro.

Beijinhos