quinta-feira, 1 de dezembro de 2011







Encharca-me a alma,
A chuva morna e Outonal
Peço ao céu que me banhe de calma
Para poder voar no azul celeste e real.
Através da vidraça embaciada
Vejo as folhas que as árvores abandonam
Levadas pelo vento da estação
Pisam a calçada já molhada
E numa balada envolvem-me o coração.
Sem querer vejo teu rosto esbatido
Parece pedir só mais um momento
Mas o invólucro já foi partido
E levado pelas águas banhadas de sofrimento.
Impávida oiço a canção do adeus
O olhar procura outro sonho brilhante
Onde a entrega é de força amante
E como por magia estendo a mão
Olho o infinito e recuso-me...
Pintar a cor da solidão.




Garça Real





19 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema cheio de nostalgia de um tempo que passou mas deixou dentro do peito as marcas tatuadas a saudade...e quando o encanto é quebrado embora não se esqueça é difícil voltar atrás.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

tulipa disse...

POR AQUI...
sente-se POESIA no ar!!!
LINDA
PARABÉNS.

Pelos meus lados fiz hoje um post, com mais de 1 ano de atraso, mas acho INTERESSANTE, vem espreitar:

Com uma área de 40 m2
e concebida em parceria com a Dustrimetal e a Corticeira Amorim, a peça assenta numa estrutura metálica, feita em módulo para facilitar a sua montagem no local, sendo depois totalmente revestida a cortiça pelo exterior e também no interior,
que ostenta um pavimento 100% ecológico.

"Optámos por utilizar a cortiça exatamente como ela é, no exterior, o que lhe permite uma grande integração na paisagem.

Para o interior, contrastando com a rudeza da casca, temos a subtileza e a doçura tátil da cortiça tratada.

As pessoas ao mexerem nas paredes poderão constatar que a temperatura é idêntica à temperatura do corpo humano", reforça ainda o arquiteto.

O grande objetivo de Miguel Arruda com a sua "Escultura habitável" é não só provocar sensações mas levantar questões onde se cruza a dialética da escultura e da arquitetura:

"Nos seus limites que não existem, antes pelo contrário - podem ser pontualmente exponencializados nesta ou naquela circunstância".

Jardim das Oliveiras no CCB tornou-se assim um território onde o visitante podia habitar a peça,
e como diz o arquiteto,
"experimentar uma quadridimensionalidade que projeta a apropriação da arte, a arte como lugar e o lugar como conceito de Escultura Habitável".

Pena disse...

Maravilhosa e Perfeita Poetiza Amiga:
Em primeiro gostaria de pedir desculpa ainda não ter vindo aqui. Desculpe.
O seu poema prima pelo encanto e ternura fabulosas e imensas. Parabéns.
"...O olhar procura outro sonho brilhante
Onde a entrega é de força amante
E como por magia estendo a mão
Olho o infinito e recuso-me...
Pintar a cor da solidão..."

Já registei pela sua pureza, encanto e beleza.
É uma poetiza sublime.
Concebe versos de maravilhar e deslumbrar.
Beijinho amigo de respeito profundo.
Agradecido pela sua visita linda e terna.
Sempre a admirá-la

pena

Desculpe.
O seu talento poético já o registei em mim. É grandioso, perfeito e notável.
Adorei.

Solange disse...

os poemas tristes são lindos..
cheios de sensualidade..sentimentos vividos de uma forma intensa, enquando duraram..

bjs.Sol

Eduardo Aleixo disse...

O teu poema é de palavras meigas que andam com suavidade sobre a pele das nossas almas. De mansinho e muito levemente deixas sobre a pele pegadas de profundos sentimentos de saudade e de amor. Sublime poética a tua, mãos de fada, tombar dançante de folhas cor de outono. Brisa indelével com perfume que fica. Beijos de amizade e de admiração.

Vieira Calado disse...

Sempre um prazer visitá-la!

Desejo-lhe um bom fim de semana!

A.S. disse...

Um poeta nunca está só minha querida! No seu universo terá sempre a caricia das palavras, o eco das emoções, a vertigem do poema!...


Beijos... e saudades!
AL

Noctivago disse...

Ate que enfim " voou até ao meu sítio " já sentia a sua falta...

Quanto ao SEU poema , encantador , gosto da sua forma de escrever...

Beijinho

GarçaReal disse...

Amigo Noctivago

Lamento que tenha o seu blog fechado o que me impede que o visite com mais frequência e o possa comentar.

Obrigada pela sua visita

bjgrande do Lago

O Árabe disse...

A canção do adeus... outra mais triste não existe, aos nossos ouvidos. Boa semana, amiga; fica bem.

Mário Margaride disse...

Querida amiga

Como sempre, brindas-nos com mais um belo e sentido poema...

Gostei muito!

Beijinhos e um excelente dia!

Mário

Sonhadora disse...

Minha querida

Passando para desejar um bom feriado e deixar um beijinho com carinho.

Sonhadora

Pena disse...

Deslumbrante e Genial Poetiza Amiga:
Um poema extraordinário, lindo e de uma pureza sentida de imensa significação.
É linda, sabia?
Escreve com beleza.
Os seus versos fascinam e deliciam.
Parabéns, mas sinceros. Adoro lê-la. É verdade. Maravilham os seus versos fabulosos e gigantescos.
Feliz Natal para si e para os seus.
Beijinhos mil de amizade e respeito.
Sempre a admirá-la, mas SEMPRE!

pena

É grandioso o seu sentir puro.
É mágica no que faz.
Adorei.

Aníbal Raposo disse...

Só quando o poeta vive a palavra respira.
Beijo.

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para agradecer o carinho de sempre e oferecer uma fatia de bolo de aniversário...embora virtual é de coração.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Mário Margaride disse...

Querida amiga Garça

Passo por aqui, para te agradecer as tuas visitas e desejar-te um excelente fim de semana!

Beijinhos

A.S. disse...

Venho ao Grande Lago onde as palavras se evolam da superficie das águas, deixar um abraço. Sim... um abraço de saudade, um abraço fraterno, um abraço poético, um abraço de paz e alegria nesta época de Natal onde pelo menos uma réstea de luz consiga vencer a espessura das sombras que pairam ameaçadoras sobre as águas! Porém as palavras sempre sobreviverão!...
Ninguém vence o poder das palavras!

FELIZ NATAL MINHA QUERIDA AMIGA!...
AL

Coruja disse...

Recusar a plenitude?
Não faça isso!
Mergulhe nela!
Embriague-se de si!
Conviva com a única realidade espiritual que podemos comprovar a cada passo: a partícula divina que habita no nosso interior.

Bom ano!