quinta-feira, 19 de agosto de 2010







Escrevo com o pó que os pés marcaram
Num trilho distante , numa saudade perdida
Um laivo rasgou a alma enegrecida
Mas logo se apagou nas lágrimas que tombaram.
O caminho empalideceu no fado da vida
O olhar perdeu-se na flor que não abriu
Porque o sorriso que afinal não sorriu
Morreu ao nascer no rosto sem expressão
Pois não cabe nem num canto do coração.
O sonho que então acordou
Foi pétala seca de um amor que empalideceu
Pois o laivo repentino que a meus lábios aflorou,
Neles não morou...
Pois viveu e tristemente morreu.




Garça Real



11 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belo poema, que se entranhou na minha alma de tanto o sentir.

Foi pétala seca de um amor que empalideceu
Pois o laivo repentino que a meus lábios aflorou,
Neles não morou...
Pois viveu e tristemente morreu.

Como sei do que falas.

Beijinhos
Sonhadora

Eärwen Tulcakelumë disse...

Um poema triste para uma alma tão bela.Que resgata as forças nas letras que escreve. Sei que a estrada há de abrir mais a frente.

Pérolas incandescentes de carinho amigo e paz entrego em tuas mãos.

Eärwen

Paulo disse...

Olá GarçaReal ^^

É triste o poema, contudo tem uma beleza própria como as tonalidades de um crepúsculo, aquele momento indefenido quando o sol já desapareceu no horizonte e o céu hesita por instanstes entre o dia e a noite num degradé de cores lusco-fusco. Bela sensibilidade :)

beijinho à Lady do Lago Real *_*

Pena disse...

Admirável Poetiza Amiga:
A eterna melancolia da perfeição da vida que o deve ser sempre para os poetas e poetizas num poema fabuloso.
Registei o seu talento poético marcante.
"...O sonho que então acordou
Foi pétala seca de um amor que empalideceu
Pois o laivo repentino que a meus lábios aflorou,
Neles não morou...
Pois viveu e tristemente morreu..."

Escreve de forma gigante e divinal. Os seus versos são uma relíquia imensa. Preciosos. Puros. Lindos. Fantásticos numa sensibilidade transcendente de encanto e beleza poéticos.
Parabéns.
Beijinhos amigos de respeito pela honra de estar aqui.
Com constante admiração e fascínio pelo que confecciona maravilhosamente.

pena

Bem-Haja, pela ternura deixada expressa no meu blogue que adorei.
É uma extraordinária poetiza.
Adorei.
Notável, amiga.

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga
fado da vida
é um triste fadário !
,
e se cantasse-mos
as lembranças do futuro
esquecendo o presente
no compromisso passado
vamos sonhar
as atitudes positivas
caminhos a percorrer
transformando a realidade
vamos sorrir
aos medos antecipados
de incertezas impostas
nos trilhos por desbravar !
,
pililipares que a gaivota,
envia á linda garcinha
nas conchinhas que te deixo !
,
*

Manuel de Santiago disse...

Tiempo ha que no coinciden ni tu vuelo ni mi caminar. Y lo siento.
Siempre es momento de volver.
Me gusta tu poema, triste de más me parece, pero hermoso.
Nace, quizá, de un alma herido por el Amor que se fue...
Un saludo.

lynce disse...

Na minha perspectiva, poetas são grandes pensadores que entendem
a maior de todas as ciências: a do coração!
E tu és isso mesmo, uma grande poeta. Adorei!
Beijinhos e boa semana

MEU DOCE AMOR disse...

Pois é!E isso é o desencanto,não é?

Beijinho doce e agradeço as visitas.Espero por ti no Magia e o Fogo:)

O Árabe disse...

Em tuas palavras, amiga, a tristeza se faz beleza. Boa semana, fica bem.

sonho disse...

O sonho que então acordou...quando não se conseguem realizar...é o mal dos sonhos...terminam todos da mesma forma...acorda se...
Beijo d'anjo

Nilson Barcelli disse...

Há amores que desmaiam em pouco tempo...
Excelente poema, querida amiga. Gostei das tuas palavras inspiradas.
Um beijo para o lago...