quinta-feira, 6 de setembro de 2007





Folhas caídas, pobres ilusões perdidas
Que o vento arrasta sem dó nem piedade
Folhas ressequidas sem carícias minhas
Quimeras que morrem sózinhas feitas de ansiedade.


Folhas quase mortas, perdidas no caminho
Sem meu carinho, cheias de ansiedade
Folhas nuas, vencidas pelo desengano
São farrapos de vida dum cruel engano.

Garça Real




33 comentários:

markus disse...

Bonito o teu poema,de folhas nuas e perdidas que não tiveram o teu carinho.
Um dia bom***

NETMITO disse...

Nada de crueldade!
E um grande beijinho para ti bem lá no fundinho!**

poetaeusou . . . disse...

*
vai e vem,
,
sinónimo de vento
,
jino
*

Joshua disse...

Não posso deixar de declara o meu encanto.

Bjs

Delfim Peixoto disse...

Mas as folhas caídas semeiam novas árvores...basta esperar a Primavera
:)

MEU DOCE AMOR disse...

Estou relaxadinha:)

Adoro este poema.Nem sei o que te diga mais.

Toca a dar energia.

Um beijinho doce Linda Garça:))

rosa dourada/ondina azul disse...

O vento quando arrasta, também leva o que é velho e não presta. Dá para renover...


Beijinho para ti,

lu@r disse...

Palavras emotivas acompanhadas com uma linda imagem.

Encantas-me poeta.

Deixo um beijo silencioso

Luz&Amor disse...

Que o engano se desfaça, que as folhas ganhem o verde e cor...
E a esperança encha de perfume e amor a sua casa.
Passando pra desejar um otimo findi semana a ti.
Beijinhos

gasolina disse...

Folhas com veios como veias.
Aí pulsa vida.

Beijinhos Amiga Querida e Real.

Sol da meia noite disse...

O poema é bonito, sentido...

Entendo o valor que dás ao carinho...
Algo que se precisa...

Beijinho!

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Belo este teu poema!


"Folhas caídas, pobres ilusões perdidas
Que o vento arrasta sem dó nem piedade
Folhas ressequidas sem carícias minhas
Quimeras que morrem sózinhas feitas de ansiedade."

Quantas ilusões perdidas
Quantas folhas caídas
Neste chão do desalento
Quanta esperança perdida
No chão jaz ressequida
Quanta dor, quanto tormento...

Noite serena...beijo terno

Eärwen Tulcakelumë disse...

Aqui impera um sentir profundo...sentimentos que se perdem no caminho...
Mas o coração que ama sempre acha o caminho.
Agradeço sempre tuas visitas.

Pérolas incandescentes de luz.

Eärwen

C Valente disse...

bonito poema de outono, mas que se lê com agrado em todas as estações
saudações amigas

Um Momento disse...

Folhas ao vento
palavras a voar
Dores sentidas
Saudades a apertar
Neste teu lago me encantas
Desta tua fonte me sacio

Um beijo em ti deixo cair
(*)

Dias disse...

Sorry... não.

A razão do Poema é boa e exploras-a bem, mas os ecos não me acenderam, pelo contrario, apagaram-me o ritmo do teu verbar, incomodaram-me o ritmo.

Desculpa, se preferires de futuro quando for não, não comento.

Beijo

.:mÁrCiO:. disse...

Excelente poema... As folhas são sempre um sinal do nosso caminho, que temos que percorrer!

Dias disse...

Ola outra vez Garça.

O Poema não me tocou, so isso, e por isso te peço desculpa.

Beijo TREMENDAMENTE GRANDE, para te compensar destes meus gostares :)

rosa dourada/ondina azul disse...

Passei no teu Real lago, para te desejar
Bom fim-de-semana !

MEU DOCE AMOR disse...

Olá Garça:

Voltei.Tens uma forma muito interessante de transmitires o que vai dentro de ti.

Acho o poema triste.Mas não deixa de ser belo.

Engana esse engano.Porque não?

Beijinho doce e ...quero ver mais Luz nas tuas palavras.

Bouquet disse...

Olá Garça,
li o teu poema penso que transmites ali um pouco de ti, passado, folhas caídas, pedaços de passado!
Agarra nessas folhas junta-as...rega-as com vida, quem sabe não se renovarão?

Da-lhes tu carinho e vais ver que ficam frescas:-)
Gostei do teu lago!
Deixo-te um bouquet fresco e viçoso!

Porque Te Amo disse...

"...folhas caidas que alimentam uma esperança... a terra fertil de um amor... musa de uma dança... num beijo de calor...."

1beijo... assim... entre pianos

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Passei aqui, para reler este belo poema! E desejar-te um excelente fim de semana!

Beijo terno...

Alice Matos disse...

Lindo...
Pensar que tais folhas foram frescura de Verão em tardes de estio...
Mas... observa as crianças no regresso à escola pelo Outono... Elas mergulham nas folhas secas como num mar de magia... criando música que inunda os corações...
Beijinhos grandes...

Barão Van Blogh disse...

Sou novo nestas lides ...

Aqui deixo o convite para que visitem o meu espaço .

"Ao lado de fortes cavaleiros eu seguia
Terras de mil cores nós ia-mos conquistar"

Bom fim de semana .

Gasolina disse...

Um beijo de Amizade que cresce.

BOm fim de Semana, Amiga Real.

joão oliveira disse...

ola que maravilha este lago real.

quantas ilusões ficam pelo caminho, mas outras se vivem à custa destas.

lindo e profundo poema

beijinhos e bom fim de semana

MEU DOCE AMOR disse...

Venho deixar um beijo e saudações do Condor.Ele assim é.E tu bem sabes.

Um beijo assim a modos que...espero que tragas aquelas notícias de África.

Bouquet disse...

Vim ao lago ver se as folhas já estavam nos sacos...mas ainda estão caídas por aqui :-)

Um bom fim de semana e voltarei...

lu@r disse...

Sou uma folha perdida
calcada ao acaso.

Deixo-me ficar.

Beijo

lua prateada disse...

Lindo digno de uma Garça Real mesmo.Voltei amiga deixei~te 1 beijinho no meu blog.Beijinho prateado para ti da
SOL

C Valente disse...

Saudações amigas

Naty disse...

Olá bonitos poemas sabe bem passar por aqui.
bjs naty