segunda-feira, 11 de junho de 2007



Foste não sei se indiferente
Se orgulho ou meigo receio
de comprometer o teu amor assente
Estou confusa, já não sei no que creio


A tua cabeça firme
O teu passo certo e sem olhar
O tronco erguido que doce confusão
E que rebeldia no meu doce amar


Senti o ar gélido da noite
Tão frio como a alma que sentia
A borrasca de neve impertinente


Não há esperança que se afoite
Ter fé é o carpir de que mentia
Dum alvoroço e decepção crescente

GarçaReal
















36 comentários:

Maria Clarinda disse...

"...A tua cabeça firme
O teu passo certo e sem olhar
O tronco erguido que doce confusão
E que rebeldia no meu doce amar


Senti o ar gélido da noite
Tão frio como a alma que sentia
A borrasca de neve impertinente..."

Lindo o teu poema!!!
Bjs e boa semana.

Osc@r Luiz disse...

Também gostei.
Muito.
Se algo seu aparecer no meu blog mais reflexivo, "Flainando na Web", certamente não será mera coincidência.
Boa semana.
Beijo.

Mário Margaride disse...

Olá, Garça!

Gostei muito deste teu belo poema!

Existe alguma incerteza, no teu sentir, no teu amar.

Compreendo-te querida amiga...
Também me sinto assim...nesta inquietude, nesta indefinição...
Porém...acredito que o amor vencerá. Snto isso cá dentro do meu coração.

Beijinho querida amiga.

Andreia do Flautim disse...

Olá!

Bonito!

P.S: Obrigada pela visita, volta sempre!=)

sonhadora disse...

Carpe diem!
Beijinhos embrulhados em abraços.

GarçaReal disse...

Maria Clarinda.Gostei da tua visita.
Obrigada.
bj

GarçaReal disse...

Volta sempre Oscar.
bj

GarçaReal disse...

Mário:
Inquietude,indefinição, incerteza...Pois tudo isso faz parte de mim.Esperemos pela vitória do amor.
bj

GarçaReal disse...

Obrigada Andreia.
bj

GarçaReal disse...

Sonhadora já passei por lá.
um bj

Vilaça disse...

Fantástico!...
Fraterno abraço.Fico cativo do seu espaço...

GarçaReal disse...

Vilaça,obrigada pelas lindas palavras.
bj

gasolina disse...

Garça,

Que sería do poeta sem a inquietação, a duvida, a melancolia, a busca eterna do amor ausente?

Muito bonito. Gostei muito.

E da tua visita lá pelo meus sitios também. Volta sempre.

Um beijo.

o alquimista disse...

Lindo...!

Ditosos são os amantes ao fim do dia, não deixam sombra na noite, trocam palavras, juras em harmonia, e o encanto floresce à cadência da palavra, explode no peito com fome de beijo, solto...

Uma maravilhosa semana para ti


Doce e terno beijo

Reflexos da Alma disse...

Olá Garça Linda !

Um Poema muito Bonito ,mas ao mesmo tempo algo sofrido ...

Obrigado pela tua passagem e pelas Palavras que lá deixaste ..
Beijos

Bia disse...

"dum alvoroço e decepção crescente..."
belo poema de Amor e Dor...
Parabéns.

João JR disse...

Olá,
Obrigada pela visita. Tb gostei muito de te ler:)))
Um beijinho grande

Maria Clarinda disse...

Mais um momento delicioso, ao ler o teu poema e contemplar a foto!!!
Jihos apertados

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Tens um miminho no Canto poético...
Vai lá sim.

Beijinhos doces

GarçaReal disse...

Gasolina sem inquietação não há poeta nem poema.
obrigada
bj

GarçaReal disse...

Alquimista uma boa semana para ti também.Já fui à tua casa.
Obrigada pela visita.Volta.
bj

efvilha disse...

Os sonetos são buquês de palavras ofertadas ao amor.
Beijo.

GarçaReal disse...

Reflexos, que bom ter-te de volta e de passagem por aqui.Tinha saudades de ver a tua chama a arder no meu blog.
Volta

bjs

GarçaReal disse...

Bia, gostei da visita.Boa semana

bj

GarçaReal disse...

João jr, é bom ver-te por aqui.Ainda bem que gostaste.

bj

GarçaReal disse...

Ainda bem que voltaste Maria Clarinda.É sinal que gostaste.
Obrigada e bj grande

GarçaReal disse...

Querido amigo Mário:
Que dizer-te?
Estragas-me com mimos.Estou deveras sensibilizada.
Agradeço a tua preciosa amizade


bj grande

GarçaReal disse...

Efvilha...Eu adoro buquês.
Obrigada.
Volta sempre
bj

Andreia do Flautim disse...

Bonito!

Um abraço!

sonhadora disse...

Passa pelo meu blog. Tens lá um presentinho meu.
Beijinhos embrulhados em abraços

Reflexos da Alma disse...

Minha Linda Garça !
Mais uma leitura neste teu poema, e mais uma Beijoka Grande e ternurenta te deixo ;)

Poeta da Lua disse...

às vezes faz frio...

um abraço e um sorriso!

Alice disse...

Que lindo, Garça...
É este dançar na corda que faz do amor a nossa vida!

Voltarei, se achares bem...

BJS.

Mário Margaride disse...

Querida Garça,

Deixo-te um beijo, e um livro por inventar.

Bons sonhos

Beijinhos

MARIA VALADAS disse...

Um belo soneto!

Parabens á Garça Real!

Beijinhos da

maria

MARIA VALADAS disse...

Passei para desejar-te um resto de bom domigo!

Voltarei para ver se há mais maravilhas para ler!

Beijinhos da

Maria